segunda-feira, 29 de junho de 2009

Coisa mais linda!!
Sabe com quem parece?? Com a minha filha quando era bebê.
Quando vi essa imagem num e-mail que recebi a primeira lembrança que me ocorreu foi que uma das meus primeiras tormentas quando soube do câncer foi que eu, à partir daquele momento, me tornava responsável pelas possibilidades genéticas da minha filha - assim como da minha mãe e irmã.
É óbvio que essa sensação desapareceu depois quando pude perceber que EU era a vítima real e imediata.
Sou o primeiro caso de câncer de mama registrado na família. Isso é bom, conforme parecer médico, mas me torna um possível gatilho familiar, título que preferia não carregar.
Faltam exatamente 20 anos para que minha filha tenha que começar a fazer suas temíveis mamografias - Dez anos antes da idade que eu tinha quando descobri o maledeto.
Examezinho chato esse.
Não conheço ninguém que conte os dias para fazê-lo, entretanto é de suma importância sua realização, pelo menos, anualmente.
Como o lindininha aí de cima fico na maior torcida para que encontrem a cura para essa doença antes que lhes cresçam os seios, assim como os da minha filha.
A ciência avança a passos largos em tantas frentes mas ainda tropeça no câncer.
Até quando?

Um comentário:

João Eduardo Q. C. disse...

Tropeça mesmo... E me parece uma espécie de loteria.
Fico imaginando nessa tal de mamografia os seios sendo prensados feito massa; que coisa aflitiva, apesar de já terem me falado que não é uma coisa dolorida.

Bjs e um ótimo domingo!