sexta-feira, 17 de julho de 2009

Noivas de Hitler

Hoje pela manhã fui à clínica fazer meu exames de controle semestral: mamografia, eco mamária, abdominal total, enfim, me viraram do avesso, literalmente.
Atendentes especialmente treinadas para nos deixar bem à vontade, todas tão queridas e educadas.
Passar a manhã na clínica em jejum não é nada muito agradável, mas regras são regras, não tem barganha.
Um exame após o outro em sincornia perfeita, parecendo balé aquático, e eis que chega a hora da famigerada mamografia.
Respiro fundo e sigo minha algoz.
Ela pensa que me engana com aquele sorrisinho delicado. Só a sigo, pois sei que será para o meu próprio bem. Se tivesse qualquer outra alternativa nem chegava perto da clínica.
Gentilmente ela me pede que tire o avental e me posicione naquela máquina ridícula - que consegue ser ainda mais ridícula que o avental que estava usando.
- Isso, só um pouquinho prá frente. Não, não, agora vira de lado. Encolhe a barriga...
Gentilmente ela coloca a mão espalmada sobre meu seio, mas retira no momento exato em que a máquina vai prensá-lo como uma torradeira. Espertinha ela, deve saber como a máquina de tortura é eficiente.
Fico lá durante alguns segundos, quase convulsionando, e ela diz com aquela cara bem sádica:
- Só mais um pouquinho, minha querida, não vai doer nada.
Não dói nada nela, pois em mim dói, e muito.
Volto prá casa com aquela sensação de teta chinelo, dolorida e chego a conclusão que essas atendentes são neo nazistas disfarçadas, levando adiante a saga de Hitler.
Na próxima vez que for fazer meu exame vou chegar na sala, levantar o braço à frente e saudá-la:
- Hey Hitler!
Quem sabe ela não me aperte tanto.

4 comentários:

Quem é ela? disse...

Quando setembro vier, eu já sei o que me espera... revisão da quilometragem e... sim, mamografia! Só de pensar meus peitos se encolhem de pavor daquela sensação de CD prensado em high definition. Oh, vida!

João Eduardo Q. C. disse...

Que coisa mais aflitiva e dolorida que deve ser esse exame, meu Deus!
É verdade, esse povo que faz exames tem cara blazè e papinho blazè. Enquanto eles fazem a festa do estica-e-puxa e do suga-suga a gente é obrigado a dar um sorrisinho do tipo "vai logo com essa merda que tá doendo, cacete!".
Gostei que no final da sua blogada você deu uma boa raspada no tacho do bom humor.

Super beijo!

Pugdog disse...

Pois João Eduardo, se não tiver bom humor prá aguentar esses apertos, literalmente falando, vou fazer o que, né?? rsrsr
bj

Prussiano disse...

heheeh..... imagino q esse exame deva ser bem ruim mesmo... mas nós homens tbm temos lá nossas "inconveniências".... so de pensar que depois dos 40 vou ter que consultar o proctologista fazer u famoso exame de próstata...aff... já me da asco desde agora... mas... se Deus quiser alguma mente brilhante de algum cientista maravilhoso há de descobrir um método menos "empírico" de saber se nossa prostata esta em ordem... ou não, né !!! Estou contando com isso !!