sábado, 1 de novembro de 2008

2008: O ano da limonada








Pois é, sempre tive mania de reclamar do ano que tava acabando. Sempre achava que não tinha sido bom. Ou tinha chovido muito, ou não tinha chovido o suficiente. Não tinha jeito, ele não conseguia me agradar.
O final de 2007 não foi diferente. Na verdade nem me lembro direito qual era a reclamação. Talvez tenha sido falta de grana mesmo...O fato é que eu contava no calendário os dias que separavam um ano do outro. Talvez, inconscientemente, a expectativa do novo, da mudança. Como se entre às 23h59 de dezembro e a 0h00 de janeiro, algo extraordinário pudesse acontecer no órbita dos planetas e o alinhamento exato das galáxias trouxessem o ano perfeito embrulhadinho prá presente. Ledo engano, ano após ano.
Às 23h59 de dezembro de 2007 não foi diferente. Todos os salamaleques que antecedem o ensejo preparados para que nada viesse atrapalhar o novo ano. Lentilhas, pulinhos, desejos, espumantes, enfim, arsenal completo. Dessa vez não falha!!
Eis que apenas 10 dias após a passagem propriamente dita colho o primeiro limão. E era azedo o danado. Até o momento minha produção aumenta consideravelmente. São dos tipos mais variados. Estou pensando em fornecer em escala industrial para a Teem ou Sprite. Vai que dá uma boa grana...
Já estamos na expectativa de um novo ano: 2009.
Fazendo uma leitura de 2008, posso afirmar tranquilamente que foi o ano mais difícil de toda a minha vida. Sem sombra de dúvidas, foi.
Foi literalmente o ano em que a água bateu na bunda, ou melhor exemplificando, o ano em que um tsunami me deixou só com uma narina de fora.
Interessante que ao fazer minha retrospectiva anual hoje não fico acalentando expectativas irreais para 2009. Sei que será um ano como outro qualquer, com alegrias e tristezas. Com vitórias e derrotas.
Chegar à essa conclusão é quase como a descoberta da penicilina!! Pense comigo: nada é tão ruim que não possa piorar e se tu tá no buraco, dê graças à Deus se ainda não tem terra em cima. Acho que o mais importante que aprendi na minha vida, aprendi em 2008 e isso foi a descoberta de que tudo passa. Tudo. Tanto as coisas boas como as ruins. Passa.
O que não passa é aquilo aprendemos com as durezas da vida. Como os limões que vamos transformando em limonada ao longo do caminho. Que podemos temperar com a amor e o carinho que recebemos daqueles que aceitam dividir a limonada com a gente. Esses trazem o açúcar.
Que venha 2009, 2010...2100. Tragam os seus limões que eu trago o açúcar.


7 comentários:

Welker disse...

Legal... posso trazer água então? :T

Pugdog disse...

Claro que pode...
É um ingredente indispensável...

Carol (Tita) disse...

Tipo... não conheço viv'alma (olha que chique esse português castiço!) que tenha achado 2008 molezinha. Foi como uma pedra no sapato, daquelas que a gente pensa que conseguiu se livrar, mas ela estava lá, escondidinha, a 'feladaputa'.
Mas nessa coisa dos limões eu já sou escolada, por isso é que já não alimento expectativas ou ilusões. Nunca sei o que elas comem!
Se crescer é foda, amadurecer é muito mais complicado. A sorte é que a gente vai descobrindo aos poucos, o dom do discernimento. Com ou sem limão, tudo vale a pena!

Ana Paula Sampaio disse...

Bom, 2008 foi ano de Marte, né... Muita luta, muita batalha. Gostoso não foi, mas se tivesse que por na balança tudo que aprendi contra tudo que passei...passaria por tudo de novo! =) beijos Mari!

Pugdog disse...

Quando começou 2008 ainda pensei que seria um ano difícil por causa de Marte, mas só agora me caiu a ficha...

Larissa Bohnenberger disse...

Eu sempre fui adepta às tradições supersticiosas que giravam em torno deste momento 'virada'. Sempre fiz tudo o que me diziam que era pra fazer para ter um ano seguinte melhor. Às vezes o ano que vinha era melhor, às vezes pior... então em 2007/2008 eu decidi não fazer nada. Não escolhi cor de calcinha, nem de roupa, não pulei ondinha, nem comi lentilha... jurei que 2008 ia ser maravilhoso!!!! Foi meia boca! Agora chega! Não vou mais tentar adivinhar o que vai ser do futuro.

"Sei que será um ano como outro qualquer, com alegrias e tristezas. Com vitórias e derrotas.
Chegar à essa conclusão é quase como a descoberta da penicilina!!"

Isso me lembrou um episódio de "Sex in the city", em que Miranda sente um alívio gigantesco e sai pulando feliz da vida quando descobre que, quando um homem se recusa a subir ao apartamento de uma mulher no fim de um encontro, dando qualquer tipo de desculpa, na verdade é porque ele não gostou tanto dela e não quer vê-la novamente... rssss! Acho que é mais ou menos isso. Saber que 2009 vai ser um ano como outro qualquer, independente do que se faça, é até reconfortante... nos livra dessas 'responsabilidades'!

Bjs!

Anônimo disse...

Não sei se 2009 vai ser fácil ou difícil só sei que diante das dificuldades PERTINENTES a cada ano vc será meu GRANDE referecial de SUPERAÇÃO, mais uma vez OBRIGADO por fazer parte da minha vida. Continuo a te admirar com quem vê o mar pela primeira vez.