quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

10/01/08 - 10/01/09

Sempre tive uma certa fixação com datas. Por exemplo, nunca me esqueço do aniversário de ninguém. É mais fácil que eu me esqueça do nome do que da data de nascimento de um pessoa. Se um dia me marca muito no próximo ano vou me lembrar e fazer uma comparação. Tipo saldos e pontas.
Hoje, especialmente, não pode ser diferente. Faz um ano que fui apresentada ao câncer. Nesse dia, no ano passado tinha dúvidas quanto minha permanência nesse planeta pelo próximo ano. Não sabia se estaria aqui hoje. Mas estou!! E olha como o mundo dá voltas...Se no ano passado era um calor de matar urso polar, hoje tá bem agradável e chovendo. Se no ano passado eu estava sentada tal qual uma planta, vegetando no sofá, sem encontrar forças ou vontade sequer prá tomar banho, hoje aqui na praia, depois de tantos anos, feliz e...saudável. Depois de exatamente um ano de batalhas, lágrimas, medos e incertezas estou fechando esse ciclo. Creio que com chave de ouro.
Como mencionei em outra postagem meus exames me eximem de qualquer preocupação com minha saúde. É claro que como qualquer pessoa que teve câncer tenho aquele batalhão inseparável de pulgas atrás da orelha que me desestabiliza por conta de uma dor de cabeça. Acho que essa é uma sequela inerente à doença
Contrariamente ao ano passado , hoje minhas preocupações são completamente diferentes. Se no ano passado estava decidindo por médicos, cirurgias e tratamentos hoje preciso decidir apenas se dou um mergulho ou faço uma caminhada. Não importa, hoje qualquer decisão vai me deixar feliz.

Um comentário:

Ana Paula Sampaio disse...

Oi Mari, que bom que tem texto novo! =) Eu também tenho essa mania de datas, de comparar o que estava fazendo em janeiro de 2006 ou 2007... não guardo os dias, apenas as épocas ou momentos... Interessante que com relação ao câncer eu não guardei qualquer data. Não me lembro quando recebi diagnóstico, que dia operei, aliás, nem o mês! Tenho um desapêgo total com relação a essa experiência. Não nego a importância dela mas não acho que foi a mais importante que já tive nem a que mais me ensinou! =) beijos!!!