quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

A Cabana

Como coincidências não existem, ontem (09/01/09), terminei de ler um livro prá lá de ótimo. Se chama a Cabana, de William Young.
Nossa, me pareceu um presente ler esse livro justamente nesse momento de minha vida e principalmente depois de ter chamado Deus tantas vezes na xinxa pelo que eu julgava que ele tinha deixado acontecer comigo. Tadinho...
Recomendo para qualquer pessoa. Esteja feliz ou triste. Nesse momento em que faço a minha "retrospectiva 2008" (desculpe se estou um pouco atrasada) A Cabana simplesmente cristalizou tudo o que 2008 me ensinou. E olha que não foi pouco, não!
Esse livro nos mostra que somos juízes duros demais , não apenas com a gente mesmo, mas, sobretudo, com Deus.
Assim como crianças mimadas ficamos à espera de bênçãos que já nos foram dadas, fazendo pirraça e batendo o pé por que nossa arrogância não permite que enxerguemos a beleza (e facilidade) da vida e da presença de Deus (sempre) ao nosso lado.
Prá quem já leu A Cabana fico aguardando comentários; prá quem ainda não leu fica a dica. Com certeza vale cada vírgula.
Não é um livro religioso é um livro de amor.

4 comentários:

Ana Paula Sampaio disse...

Ameeeeeeeeei A Cabana! Simples, delicado, quase uma oração! Amei o aconchego de Papai e a leveza de Sarayu! Como te disse, sempre tive uma dificuldade de entender o tal "espírito santo"! rsrsrs Afinal, já não tem Deus? Mas agora eu entendo Sarayu... É ela que sopra a inspiração nos momentos em que a gente vê tudo com um clareza enorme... O vento! =) beijos!

Larissa Bohnenberger disse...

Se não me engano minha mãe comprou "A Cabana" na última feira do livro... assim, não é exatamente o tipo de leitura que mais me atrai, mas se eu vier a ler te digo o que eu achei! Bjocas!

Carol Borne disse...

É um livro sobre muita coisa, sobre TUDO, menos um livro religioso ou de auto-ajuda. Lovros de auto-ajuda não ajudam porque dizem coisas babacas e pra lá de batidas como aprender a dizer 'NÃO'. Putz, se com as prateleiras abarrotadas de livros de auto-ajuda, ninguém ainda aprendeu, SO-COR_RRO!

A Cabana não é, definitivamente, um livro de auto-ajuda-religiosa. Pelo contrário! Difícil derrubar o preconceito de ler A Cabana, mas a recompensa é impressionante. Fui tocada. Só tenho isso a dizer.

Anônimo disse...

ola alguem me manda um resumo do livro a cabana, preciso dele.
jessilima0104@yahoo.com.br