sábado, 30 de maio de 2009

Elas Cantam Roberto


Quando eu era "mocinha" o maior mico que se poderia pagar era admitir que gostava das músicas de Roberto Carlos.
Quem, eu? Deus me livre!
No entanto hoje a maturidade me permite assumir, sem nenhuma ressalva, que ele é mesmo o Rei.
Achei interessante a homenagem que a mulherada organizou prá ele no "Elas Cantam Roberto". Acredito que será um bom show, mas o que me deixou tocada foi saber que parte da arrecadação dos lucros será repassada para pacientes em tratamento de câncer de mama.
Num país onde apenas uma minoria tem acesso a um plano de saúde e tratamentos dignos, atos como esse passam a ser uma esperança para quem está à margem da sociedade mesmo quando o assunto é sobre aquela doença que não se fala o nome. É, aquela mesmo, a que mata.
Por ser uma doença que mata é que deveria ser alardeada aos quatro ventos que informação é a solução.
Quantas mulheres ainda precisam morrer para que exista, de fato, um programa social de educação e esclarecimento?
Chega de tratamentos paliativos, que apenas prolongam o sofrimento e adiam a morte.
É preciso fazer campanhas para ensinar a mulher a previnir a evolução dessa doença e que, nesse caso, a pressa é amiga da vida.
Parabéns, meu Rei, linda iniciativa.

3 comentários:

João Eduardo Q. C. disse...

Oi, Marilisa!

Tenho tantas "EMOÇÕES" pra comentar sobre esta sua blogada... Vamos lá!

Primeiramente, se parte da arrrecadação do show foi destinada aos portadores de câncer, uau, isso foi tudo de bom!

Segundamente, eu acho o Roberto Carlos uma malona sem alças e sem rodinhas. Ele, certamente, tem uma voz para cantar, mas ela é pequena e indigna de um rei. Sendo assim, a Nana Caymmi/Caimmy seria a rainha, concorda?

Quanto ao show, me encomendaram gravá-lo em dvd e eu que geralmente não consigo dizer não pra certos amigos, fiquei lá vendo o show até 1 ou 1 e 1/2 da matina da segunda -feira pra garantir o dvd da "freguesa" que não veio buscar e muito menos me pagar até o momento.

As mulheres do tal show "como é grande o meu amor por você", além de muitas não terem o "PRIVILÉGIO GLOBAL" de serem exibidas cantando, ainda faltaram na grade artistas que não poderiam faltar de jeito e maneira como Maria Bethânia e outras.

Ah, fiquei e tô na revolta! (Rs)

Bjs

Pugdog disse...

Oi João Eduardo,
Pessoalmente concordo contigo sobre a "malisse" do RC. Sem alça, rodinhas e com fecho estragado.
Quanto às suas músicas, voz e letras, ele é bom mesmo.
Não assisti ao especial, e nem congitei a possibilidade.
Mas fica valendo a iniciativa quanto a arrecadação para investimentos em pacientes carentes com câncer de mama, que é um assunto sério e muito banalizado.
Afinal o prórpio Roberto Carlos viveu uma situação muito triste com a morte de sua última esposa, vitimada por um câncer ainda muito jovem.
Obrigada pelo comentário.
bjs

Renata (impermeável a) disse...

acho muito quando ele diz...

"quando outro cabeludo aparecer na sua vida..."


sempre dou risada nesta parte..


eu gosto das musicas antigas..
e estrada de SAntos é uma das musicas mais libertadors que existem....