quarta-feira, 17 de junho de 2009

Victor e Léo


Quem é meu contemporâneo vai lembrar da febre do Menudo.
Na época eu contava com gloriosos 15 aninhos. Tava tudo certinho no lugar no frescor da juventude, época em que geralmente sucumbimos aos ídolos e imagens de referência.
Eu nunca fui fã do Menudo, com aqueles meninos gatinhos e rebolativos - para os padrões da época - que tinham tudo para conquistar a idolatria de qualquer menininha.
Acho que como eu já nasci mulher feita nunca me deixei levar por esses assuntos" mulherzinha" da adolescência. Sempre me achava um passo além das outras pobres mortais.
Eis que agora, no frescor da maturidade, me vejo ridiculamente inclinada à idolatria por lindos meninos gatinhos, embora não tão rebolativos: Victor e Léo.
Até agora não encontrei nenhuma das minhas jovens contemporâneas que não sofram da mesma febre por esses dois "caipiras" tipo arrasa quarteirão.
Bom, antes tarde do que nunca, pois como queimei etapas de meu amadurecimento lá na adolescência aproveito para desfrutar desse encantamento pelo ídolo agora e fazendo sem nenhuma tolerância a comentários tipo: o que é isso??
Ter ídolos não depende da idade cronológica e sim do espaço que guardamos no coração para nos deliciarmos em admirar o impossível.
Isso sem mencionar o espírito poético e filosófico com que o Victor compõe suas músicas.
Acredito que não poderia tê-los admirado mais na adolescência, pois eu mesma não estava pronta para absorvê-los com a alma.
Muito fácil para adolescentes admirar grupos montados especialmente para eles, mas a coisa muda quando temos que escutar, além de ouvir, uma música. Quem nunca pensou em alguma coisa dita nas músicas deles, mas que nunca conseguiu elaborar com seus cérebros prosaicos, e que fica embriagado pela poesia, pela filosofia que eles transmitem?
Como disse minha amiga Carol: Garrei amor!

4 comentários:

Larissa Bohnenberger disse...

Também garrei!
Sou uma pessoa fã! SEmpre tem algum 'impossível' ocupando os meus sonhos! E estes dois, putaqueparéu! TUDO DE BOM!!!!!!
Se eles vierem fazer show wm orto Alegre... vou estar lá gritando LIINNDDDDOOOOOOSSSSSS!
Heheheheheheh!
Bjs!

Simone disse...

Então "miga", tô passando aqui prá te lembrar que fui eu que te "apresentei" prá eles. Me deve essa, hein? Quanto ao Victor, aquele poeta maravilhos: Ô, lá em casa!!!!

Quem é ela? disse...

Ô lá em casa mesmo! Garrei amor, garrei e tá garrado!
"Nunca vi ninguém viver tão feliiiiiiz como nós no sertãããããããããããoooo. Casas simplezinhas, rede pra dormir... se tiver show desses dois, pago pra assitiiiiiiiiir".(VICTOR & LEO, com adaptações).

João Eduardo Q. C. disse...

Não os conheço... Mas, sabe, o que mais gostei da sua blogada tipo "rolo até da ribanceira pelo Victor e Léo" é de como algumas coisas não são cronológicamente corretas para muitas ou poucas pessoas. Pra mim elas também não são. Estamos nem aí, né mesmo?

Bjs