quinta-feira, 17 de setembro de 2009

Eles, os psicopatas

Acompanhei a novela Caminho das Índias, portanto assisti a todas as palestras que foram dadas pelo Dr. Castanho (Stênio Garcia) no decorrer do folhetim sobre esquizofrenia e psicopatia.
Achava interessante, sempre gostei de assuntos relacionados à saúde mental, então ouvia com atenção para aprender um pouquinho.
Lembro que a cada explicação ele reforçava que psicopatas estavam 'por aí' e que topar com um deles na esquina não era um fenômeno sobre natural.
Dentro da minha inocência (sou uma pessoa muito crédula), imaginava que era exagero, coisa de novela, apenas para reforçar a idéia.
Por ser tão crédula, boto fé nas pessoas e acredito que seres humanos possam ser do bem, sem segundas intenções.
E isso é ruim.
É ruim demais, pois existem momentos na vida que pessoas que estão cotadas bem alto na nossa carteirinha, mostram suas verdadeiras caras e não há réplica, nem tréplica que prove o contrário: são psicopatas.
Pessoas que arquitetam inescrupulosamente bonificações futuras em cada atitude que tomam, sem que, muitas vezes, nos demos conta disso.
Maquiavélicas, no sentido mais literal da palavra.
Me pergunto qual poderia ser a motivação de uma pessoa assim e a única altenativa é acreditar no Dr. Castanho: eles apenas São assim.
Cada possibilidade de ganho próprio é a mola propulsora das mais estranhas atitudes. Não possuem o botãozinho do sentimento, da empatia. No dicionário deles é cada um por , Deus por todos e fim de papo.
Deparar com seres humanos(?) assim é triste e chocante, pois mostra a face nua e crua de pessoas em que depositamos as fichas, botamos fé.
Ficamos sentados na calçada, chupando o dedo e contabilizando o estrago causado.

9 comentários:

Larissa Bohnenberger disse...

É, é triste, mas ele existem. E como dizia meu professor de cursinho, e estão soltos por aí! A verdade é que só sabemos que estamos em frente a um psicopata quando ele nos ferra a vida primeiro! Agora, são cérebros fascinantes de serem estudados. Eu acho pelo menos! Tenho uma curiosidade mórbida sobre o assunto!
Bjs!

Marilisa Peeters disse...

Sim Lari,Lari, são fascinantes!! Mas bem longe geograficamente...rsrsrs

CarolBorne disse...

É verdade. Num desses lugares que trabalhei conheci pessoas assim. Pelo menos duas delas eram (com certeza) psicopatas e uma terceira, que se fazia de 'a equilibrada', 'a educada', era uma aprendiz das primeiras, mas era completamente TOC. Abria portas e torneiras com um pedaço de papel e examinava talheres, cadeiras e até pessoas pra ver se encontrava uma sujeira aparente que justificasse suas manias esquisitas. Vai ver passava alcool gel no namorado pra transar com ele. Vai ver por isso não tenha namorado... hahahaha! Alcool gel deve arder! Espero nunca mais ter que cruzar com esse trio nefasto.

Léa Aragón disse...

É verdade, Mari. Pois não é que há pouco descobri que casei com um e nem tinha me dado conta? Também tem outra: se alguém nunca viu um psicopata e tem curiosidade basta visitar alguma dependência de governos. Em todos os níveis. Ali tem gente sem nenhum sentimento, que só quer ferrar com os crédulos que pagam impostos cada vez mais altos..

Marilisa Peeters disse...

Pois é, e o pior de tudo é que esse pessoal se disfarça bem e demonstra seus 'sentimentos' chorando para colocar a gente cada vez mais atado à sua rede...

Renata (impermeável a) disse...

marilisa... existe um termo para isto...
são os PSICOPATAS SOCIAIS.
Só confirme isto, nao são estes de filmes e novelas....
São as "pequenas maldadinhas" para obter os benefécios do mundo moderno.
São fruto do egoismo e individualismo do mundo moderno..


beijossssss

continuando assim... disse...

infelizmente ...eles andam mesmo por aí ! e camuflados por uma inteligência sempre fascinante.

Mas há sinais que se podem ver ...

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

Já tive problemas com uma amiga. Tb depositei muita fé, mto carinho.
Com o tempo a verdadeira personalidade surgiu.

Foi algo bem triste.

Malu disse...

Olá, Marilisa!
Estas pessoas existem assim como existem pessoas maravilhosas também.
Eu tenho a seguinte posição: todos são inocentes e bons até que provem o contrário e, confio sempre nas pessoas, se derem motivos passo a desconfiar, porque para mim é horrível doar-me pela metade.
Além do que, não quero correr o risco de perder oportunidade de conhecer excelentes pessoas por conta de outras não tão excelentes assim...
Beijocas, Florzinha