quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Sindrome do Ninho Vazio


Não, ninguém vai sair de casa ainda.
É muito cedo para isso, mas vislumbrei, de relance, o que acontece quando os filhos um dia voam com as próprias asas. Aquelas que podamos por tanto tempo um dia se revoltam e simplesmente se negam à poda.
O Matheus perdeu os dois dentes da frente e está encarando o estilo 'portinha de cemitério' desde janeiro.
Ele perdeu os dentinhos na praia depois de muito choro e ranger de dentes - literalmente.
Quando caiu o segundo dente, num determinado momento, me dei conta, perplexa, que isso era um marco histórico na nossa vida. Sim, eu não tenho mais nenhum bebê em casa.
Meus bebês marcham, a passos rápidos, rumo a sua futura vida independente. Como se perder um dentinho de leite fosse um ensaio para as próximas aventuras que virão.
Me senti tão nostálgica pensando que um dia ele vai me comunicar que não perdeu um dente, mas que tá indo morar sozinho, ou acompanhado, sei lá...mas sei que vou sentir o mesmo que senti lá na praia: Um aperto mansinho no peito, uma saudade não sei do que, uma falta, que castiga, incomoda.
Quando temos filhos passamos a metade do tempo sonhando com que eles cresçam e a outra metade sonhando que eles voltem a ter dentinhos de leite novamente.

10 comentários:

Bloguinho da Zizi disse...

É exatamente assim Marilisa.
Olho pros meus que parecem dois armários quando estão do meu lado e grito por dentro:
-Que foi que aconteceu que ontem eu os carregava e hoje eles me pegam no colo.
Mesmo que vc viva cada segundo da vida deles do lado deles, parece que nunca foi o bastante.
Ai, ai

Marilisa Peeters disse...

Zizi!!
Buáááááááá

Anônimo disse...

Quase morri chorando q meu ANDRÈ resolveu ir morar com a Denise!!!Minhas amigas diziam:ele está na mesma cidade....sim,mas não é mais meu!!!

zane disse...

Quase morri chorando q meu ANDRÈ resolveu ir morar com a Denise!!!Minhas amigas diziam:ele está na mesma cidade....sim,mas não é mais meu!!!

Alexsandra Souto disse...

Olá tudo bem?
Vim retribuir a visita que fez em meu BLOG e agradecer.
Adorei seu espaço e já estou seguindo.
Um ótimo final de semana.

Alexsandra Souto

Magda disse...

Querida prima, temos que passar pelo que nossos pais passaram e nós achávamos exagero, mas hj temos certeza de que não é!kkkk. Qdo diziam que um dia saberíamos o que diziam dávamos gargalhadas. O tempo passa, o tempo voa e os nossos corações precisam ficar numa boa. Nossos bebês começam a alçar vôos cada vez mais altos e precisamos estar preparados para os tombos, derrapagens, frustrações, etc.

e-Jonny disse...

Super Mari, idealizando um futuro assim como você, já tenho um pouco de dó da sua futura nora. (Rs)

Bom finalzinho de sábado e um ótimo domingo!

Marilisa Peeters disse...

Jonny,
Não, fique tranquilo, ela não corre perigo. Sou uma boa pessoa...kkkkkkkkk
bjs

Bloguinho da Zizi disse...

Mari
não chora não.
Eu te digo que aquelas crianças, hoje homens, mostram que tudo valeu a pena, até mesmo não poder mais ver os bebês que embalamos.
Pelo menos estamos aqui, vendo o crescimento deles, junto deles e eles junto da gente.
Somos abençoadas, menina.

Selinho procê no Bloguinho
Beijinhos de mãe pra mãe.

Vitor Finkler disse...

É como dizem as mães: os filhos dsão criados para o mundo.
Mas ainda falta tanto tempo, ele está apenas perdendo os dentes de leite, ainda tem muito tempo para acompanhar os passos dele, curtir de perto e fazer essas corujices de mãe.
Cada tempo tem o seu sabor, a única alternativa é degustar.

Um abraço,
Vitor Finkler