domingo, 29 de janeiro de 2012

Minhas Adoradas Sacolinhas de Super Mercado



Sempre fui da seguinte teoria: Essa balela de tirar as minhas adoradas sacolinhas de super mercado de circulação era produto dos cartéis dos produtores de sacos de lixo.
Não existe outra possibilidade plausível que justifique a suspensão da distribuição gratuita das ditas sacolinhas.
Acredito que 99% das donas de casa usam as sacolinhas para armazenar o lixo que produzem em casa.
E olha que produzimos muito lixo.
Já na chegada do super enchemos pelo menos uma ou duas sacolas só com rótulos e embalagens que descartamos assim que começamos a organizar as coisas. Depois precisamos de duas sacolas: uma para o lixo seco e outra para o lixo orgânico. Diariamente trocadas somam, pelo menos, 60 sacolas mensalmente.
Se considerarmos o preço absurdo que se paga por sacos plásticos que são especialmente produzidos para isso, podemos considerar uma pequena fortuna mensal.
Se o objetivo de tudo isso é a conservação ambiental, palmas prá eles. Mas não é.... Se fosse estariam empenhados em instalar leis de recolhimento seletivo de lixo mais competentes e organizadas...e as sacolinhas seriam naturalmente integradas ao lixo seco e reciclável. Ponto.
O projeto que proibe a distribuição gratuita das sacolas prevê a sua possível venda e alguns mercados ditos "ecológicos" já fazem isso.
Então por favor, se alguém já entendeu essa lei desenha prá mim, pois tá bem difícil de entender: Posso pagar por sacos que vão poluir o mundo, mas o mercado onde deixo a maior parte da minha grana não pode me dar umas sacolinhas de "brinde", sendo que, vamos combinar, a gente já sacou que o preço delas já tá embutida no preço que pagamos pela mercadoria. Vão voltar a me dar sacos de papel? É neles que vou colocar o lixo dentro?
Desse jeito vamos voltar ao tempo em que se usavam aquelas lixeiras ali de cima, onde era jogado tudo dentro, desde cascas de batatas, papel higiênico e erva mate por cima....Vai ser uma beleza. Imagina o cheirinho que a cidade ter com aqueles latões de metal amassados e enferrujados....Hum...
Tô, literalmente, pagando prá ver...

2 comentários:

Larissa Bohnenberger disse...

Sabe qual é o problema, Mari? É que aqui no Brasil, apesar de coisas muito básicas não funcionarem como deveriam, leis primordiais não existirem ou simplesmente não serem cumpridas, apesar disso existe uma cultura de copiar o que é de primeiro mundo. Mas só aquilo que convém, claro. Na boa, esse país só apagando e desenhando de novo do zero.

Bjs!

KINHA disse...

Olá Marilisa

Adorei a sua visita, obrigada.

BJ000000000..................
www.amigadamoda1.com